Bom dia traders e investidores!

A semana inicia com os mercados ainda repercutindo os dados divulgados pelos Estados Unidos no relatório de emprego payroll, que veio quase 3x acima do consenso, indicando que o mercado de trabalho segue aquecido e será um desafio para que o Federal Reserve (Fed) consiga frear a inflação. Além disso, a União Europeia embargou derivados de petróleo russos, que é seu principal fornecedor externo.

Os fortes dados do mercado de trabalho nos EUA desencadearam o sentimento de aversão a ativos de risco no mercado. Os investidores projetam uma política monetária mais dura do Federal Reserve, sob o objetivo de ancorar as expectativas de inflação. Essa tendência não favorece os investimentos em ações, tampouco em ativos de mercados emergentes como o Brasil.

A aversão a risco prossegue nesta segunda-feira. Às 8h17 (de Brasília), o ETF EWZ recuava 1,19% no pré-mercado nos EUA, enquanto o Nasdaq 100 Futuros apresentava queda de 1,07%, S&P 500 Futuros de 0,89% e o Dow Jones Futuros recuava 0,75%.

O Petróleo WTI Futuros, referência nos Estados Unidos, subia 0,37% a US$73,66. Já o Petróleo Brent Futuros tinha alta de 0,63% a US$80,44.

As ADRs da Vale (NYSE:VALE) tinham desvalorização de 1,33%, a US$17,09, e as da Petrobras (NYSE:PBR) alta de 0,09%, a US$10,85.

O calendário econômico ainda traz dados das vendas do varejo na Zona do Euro, com retração de 2,7% no mês de dezembro, pior do que as projeções de um recuo de 2,5%, levando o indicador anual a uma queda de 2,8%. Em breve, o mercado conhece os dados do Boletim Focus e produção e vendas de veículos brasileiros. A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, realiza discurso pela tarde.

Se preparem para mais uma semana de muita volatilidade!

Luis Fontes

Luis Fontes is a successful entrepreneur, qualified investor, and FXGlobe Ambassador. Based in Camaçari, Brazil, his trading expertise is in bold but calculated risk-taking.