Bom diatraders e investidores!

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa nesta sexta-feira, 10, após Wall Street sofrer perdas pelo segundo dia consecutivo e na esteira de dados da inflação chinesa. Na China continental, o índice Xangai Composto recuou 0,30%, a 3.260,67 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto caiu 0,44%, a 2.164,72 pontos. A taxa anual de inflação ao consumidor (CPI) chinês acelerou para 2,1% em janeiro, ante 1,8% em dezembro, mas ficou um pouco abaixo das expectativas.

Em outras partes da Ásia, o HangSeng teve queda de 2,01% em Hong Kong, a 21.190,42 pontos, derrubado por ações de tecnologia como Baidu (NASDAQ:BIDU) (-7,4%) e Alibaba (NYSE:BABA) (-3,3%), enquanto o sul-coreano Kospi cedeu 0,48% em Seul, a 2.469,73 pontos, e o Taiex registrou baixa marginal de 0,08% em Taiwan, a 15.586,65 pontos.

Exceção, o japonês Nikkei subiu 0,31% em Tóquio, a 27.670,98 pontos. Após o encerramento dos negócios na capital japonesa, surgiram relatos de que Kazuo Ueda será nomeado como próximo presidente do Banco do Japão (BoJ), o que impulsionou o iene em relação ao dólar. Ueda é economista e ex-dirigente do BoJ.

A predominância do mau humor na região asiática veio após as bolsas de Nova York caírem pelo segundo pregão seguido na quinta-feira, em meio a balanços corporativos e preocupações sobre a trajetória dos juros nos EUA.

O índice de Hong Kong, muito negociado por traders, HK50, acaba de chegar em uma linda região de suporte, Traders e investidores aguardam uma sinalização de fluxo comprador para abrir suas posições nesse ativo e você, acha que uma possível reversão de movimento pode acontecer por essa região?

Luis Fontes

Luis Fontes is a successful entrepreneur, qualified investor, and FXGlobe Ambassador. Based in Camaçari, Brazil, his trading expertise is in bold but calculated risk-taking.